sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

MEU TOP DEZ MAIS DO ANO

A lista de melhores degustações é enorme. Porém os que realmente merecem estar no topo da minha preferência foram na grande maioria, espumantes, tem vinhos também, rs....
na ordem de preferência:
10 - Cave Geisse Espumante Nature;
09 - Panizzon Reserva Chardonnay;
08 - Amadeu Espumante Rosé;
07 - Casa Valduga Gran Reserva Cabernet Sauvignon;
06 - Casa Valduga Gran Reserva Chardonnay;
05 - Miolo Lote 43 safra 2004;
04 - Salton Volpi Pinot Noir;
03 - Casa Valduga Espumante 130 anos;
02 - Dal Pizzol Espumante Brut Champenoise;
01 - Dom Cândido Espumante Brut;

sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

O espumante da Playboy

Este é o espumante eleito o grande vencedor do primeiro ranking de espumantes nacionais da revista playboy. Como foi surpresa para o responsável técnico do concurso a mim não surpreende pois já conhecia a qualidade. É digno e muito merecedor dessa posição.
Perlage persistente, coloração amarelo ouro jovem com reflexos esverdeados que lhe confere frescor visual. Na boca, tem ótima persistência e refrescância, aromas de frutas tropicais, leveduras, pão tostado. Visualmente e aromaticamente lembra muito champenoise, mas ao olhar com mais cuidado trata-se de um excelente espumante elaborado pelo método charmat.
Espumante brut, elaborado 100% a partir de uvas da varidade Chardonnay, produzidas em vinhedos próprios. Método Charmat. Jovem, frutado de aroma fino e delicado, límpido e de coloração amarelo-esverdeado. Temperatura de consumo de 6 a 8 °C.

Cadastro Vitícola do RS mostra que produção de uvas cresce 4% ao ano

A área destinada à produção de uvas cresce 4% a cada ano no Rio Grande do Sul. O número faz parte da nova edição do Cadastro Vitícola do Estado, o único do país a elaborar este documento que mostra uma radiografia do setor. Os vinhedos representam hoje 38,5 mil hectares, um crescimento de 58% na área em relação a 1995, quando saiu o primeiro levantamento.

Os mapas divulgados nesta quinta, dia 18, mostram que a produção é maior na serra, mas se expandiu para a fronteira com o Uruguai e a Argentina.

– É um momento importante e vai contribuir muito para as condições do segmento, como melhoria da qualidade do vinho e mais credibilidade ao setor – disse o secretário da Agricultura, João Carlos Machado.

Os dados que compõem o cadastro foram coletados de 2005 a 2007 pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), que elaborou o projeto em parceria com os governos federal, estadual e o Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). O investimento de R$ 300 mil permite identificar a área, a quantidade e as espécies de uvas produzidas em cada município gaúcho.

A pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho Loiva Ribeiro de Mello lembra que em 1995, o grupo mais apto para a produção de vinhos finos eram as cultivares brancas. Agora a tendência das vitiviníferas é para as variedades tintas. Para ela, essa mudança merece uma boa análise.

– Somos um Estado de excelência em termos de espumantes, e esse mercado está aquecido. Contrariamente, os vinhos finos tintos estão sofrendo forte pressão dos importados, e estão sobrando.

O cadastro vitícola é um importante instrumento para combater a comercialização de vinhos falsificados. De acordo com a Câmara Setorial da Uva e do Vinho, 150 milhões de litros desses produtos, considerados de baixa qualidade, chegaram ao mercado no último ano.

– Com o controle adequado entre cadastro vitícola e cadastro vinícola, esse abuso pode ser coibido. O trabalho para isso está sendo feito no Rio Grande do Sul pela Embrapa, mas estamos lutando para estendê-lo para todo o Brasil – afirmou o presidente da câmara setorial, Hermes Zaneti.

Fonte: http://www.clicrbs.com.br/canalrural/jsp/default.jsp?uf=1&local=1&action=noticias&id=2338584&section=noticias

ps.: o desenvolvimento da tecnologia do CD foi feito pela equipe de desenvolvedores da VinhosNet e da Enoteca.

terça-feira, 16 de dezembro de 2008

Harmonizações de Final de Ano - parte III

FRUTAS E PRATOS DOCES

Frutas Secas e nozes são ótimas em companhia de vinhos fortificados doces, como alguns vinhos de sobremesa ou um bom licoroso. O sabor marcante das nozes e o adocicado das frutas secas pedem um vinho com bastante personalidade. Já a rabanada, uma das sobremesas mais típicas do final de ano, que é muito doce, pede um vinho tão doce ou mais, boas dicas são os vinhos de uvas de colheitas tardias.
Casa Valduga Licoroso
Don Laurindo Licoroso

O Panetone com sua massa delicada e levemente doce combina muito bem com espumantes moscatéis.
Domno Ponto Nero Moscatel
Panizzon Espumante Moscatel

Harmonizações de Final de Ano - parte II

Para suas festas de final de ano ficarem ainda melhor, apresentamos a segunda parte de vinhos e espumantes que servem para harmonizar com os pratos de final de ano.

PRATOS DE ANO NOVO

O Peixe nada somente para a frente, por esse motivo é um dos pratos principais nas seias de ano novo. Pratos a base de peixe e frutos do mar combinam muito bem com vinhos brancos não envelhecidos e os peixes mais gordurosos harmonizam mais com vinhos brancos encorpados. As duas versões de peixes fazem sucesso com espumantes.
Casa Valduga Gran Reserva Chardonnay
Dom Cândido Espumante Brut
Panizzon Reserva Chardonnay

O Leitão, rico e gorduroso, é um dos pratos mais tradicionais no final do ano, e muitos dizem que por chafurdar e andar sempre para frente, ele traz dinheiro e boa sorte. Vai bem com espumantes bem estruturados e com vinho tinto da varietal pinot noir.
Vinícola Aurora Varietal Pinot Noir
Casa Valduga Espumante 130 anos

A melhor escolha para carnes recheadas com frutas são vinhos que combinem acidez com frutado intenso. Shiraz, malbec e touriga nacional podem ser boas alternativas.
Miolo - Terranova Shiraz
Dal Pizzol Touriga Nacional
Don Laurindo Malbec

Entre os artifícios para garantir boa sorte para o ano seguinte, comer lentilhas na passagem do ano é uma das tradições mais difundidas. Este prato - elaborado com linguíça e outras carnes de sabor forte - pede um vinho bastante estruturado com um cabernet sauvignon ou assemblages envelhecidos.
Dal Pizzol 30 anos
Casa Valduga Gran Reserva Cabernet Sauvignon
Salton Talento

Harmonizações de Final de Ano - parte I

O Natal e o Ano Novo são ótimas oportunidades para aproveitar todos os prazeres da boa mesa, comendo e bebendo ao lado da família. Para sua festa ficar ainda melhor elaboramos, em três partes (parte I - pratos natalinos, parte II - pratos para o ano novo e parte III - sobremesas e frutas), uma lista de vinhos e espumantes para harmonizar com os pratos de final de ano.

Confira a primeira parte - PRATOS NATALINOS:

Não existe prato mais natalino que o peru. Não importa se é o tradicional ou a ave chester. Ambos apresentam a carne clara e suave, que pode ser combinada com molhos e recheios levemente doces. Harmonizam com vinhos tintos frutados e macios ou rosados.
Casa Valduga Duetto Pinot /Shiraz
Dal Pizzol Pinot Noir
Miolo Seleção Rosé

Lombo apresenta a carne clara e o sabor combina com vinho brancoss encorpado, rosados de boa acidez e até mesmo um espumante encorpado.
Salton Volpi Chardonnay
Pizzato Fausto Rosé
Casa Valduga Gran Reserva Natura

Tender, possui sabor adocicado e picante, geralmente servido com molhos mais doces. Pede vinhos tintos com mais fruta e boa a acidez.
Adega Cavalleri Merlot Pecato
Dal Pizzol Gammay Beaujolais
Cave de Amadeu Merlot

Pernil de cordeiro ou vitela, são pratos que combinam com grandes tintos encorpados. É uma ótima oportunidade para abrir as seguintes preciosidades.
Cave Antiga Marselan
Casa Valduga Gran Reserva Cabernet Sauvignon
Salto Talento Cabernet/Merlot/Tannat

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

O espumante está na moda...

O espumante brasileiro está na moda. A bebida evoluiu e sua qualidade já se equivale à dos principais produtores do mundo. O brasileiro passou a apreciá-la com mais intensidade e freqüência.
Basta escolher a bebida que mais tem a ver com você, confira:
Espumantes Brasileiros

10 anos do 1º moscatel do Brasil

Espumante premium de edição limitada em comemoração aos 10 anos do primeiro moscatel elaborado por uma vinícola brasileira. Surge como resultado da experiência adquirida ao longo dos anos e apresenta todos requisitos para um espumante aromático e diferenciado. Possui grande intensidade de aromas florais e sabor complexo advindo da variedade Moscato R2. Seu alto grau de maturação confere intensa cremosidade e fino perlage.

Moscatel Garibaldi - explosão de sabores


O espumante Garibaldi Moscatel encantou os maiores degustadores de espumante do mundo, e conquistou a medalha de ouro no concurso de maior prestígio no mundo dos espumantes, o Effervescents du Monde, realizado na França entre os dias 13 e 14 de novembro. O concurso reuniu no Culinary College le Castel, em Dijon (Bourgogne), espumantes de 24 países. O Brasil conquistou cinco medalhas, sendo que o espumante Garibaldi foi o único a receber a medalha de ouro pelo segundo ano consecutivo. O concurso reuniu 418 amostras de espumantes de todo mundo, avaliadas por 75 jurados de diferentes países.

"Vibramos ao saber da premiação, que sem dúvida alguma, confere ao espumante Moscatel sua superioridade", destaca o técnico em enologia e sommelier da empresa, Maiquel Vignatti. Para ele, uma premiação desse nível pelo segundo ano consecutivo representa visibilidade no mercado internacional e ainda mais credibilidade no mercado brasileiro. "Um dos pontos positivos é o resultado da premiação num momento em que o consumo do espumante é significativo nesse período do ano".

A Garibaldi é reconhecida nacional e internacionalmente por sua tradição na produção de espumantes. O Moscatel é um dos itens que faz parte da linha de produtos com alto valor agregado e premiações importantes reforçam esse conceito. "Projetamos um aumento significativo nas vendas, que devem ficar em 30% superiores ao ano anterior neste produto", e um dos motivos desse crescimento está concentrado nas premiações conquistadas pelo produto em especial a essa conquista", salienta o sommelier.

Não somente o consumo e a representatividade no mercado interno deve beneficiar a empresa. O ingresso no mercado externo através do programa Wines From Brazil promete ampliar o desempenho da Garibaldi. Alemanha, África do Sul e Noruega são os primeiros destinos. Até o fim deste ano a vinícola projeta um crescimento na produção total de espumantes que deve chegar a 1,15 milhão de garrafas. Com cerca de 300 produtores associados e 77 anos de atuação, a Vinícola Garibaldi recebeu na safra de 2008 13 milhões de quilos de uva.

Segundo o enólogo responsável pela elaboração dos espumantes da vinícola, Gabriel Carissimi, o Espumante Garibaldi Moscatel destaca-se com perlage intenso, formando borbulhas finas e numerosas e ótima formação de espuma, transmitindo saliência e vivacidade. "Seus aromas finos e delicados lembram frutas tropicais e um perceptível toque de mel. Seu paladar revela toda sua elegância com uma cremosidade intensa e retrogosto lembrando melão e abacaxi".

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

DÉGORGEMENT... e o licor de expedição....

Após a decantação dos sedimentos, retiram-se com cuidado as garrafas dos pupitres, colocando-as em caixas, de pescoço para baixo. Congela-se o pescoço da garrafa em máquina especial e, em outra máquina, retira-se a tampinha de metal. Dessa forma, em função da pressão interna da garrafa, o bloco de gelo contendo os sedimentos que se formam no pescoço é expulso. Imediatamente, adiciona-se ao espumante o licor de expedição, que geralmente é composto pelo próprio espumante e açúcar em quantidade específica que determina o tipo de produto. Tampa-se a garrafa com rolha de cortiça especial e gaiola de arame e, a seguir, pode-se rotular a garrafa. Para estabilizar a pressão dentro da garrafa, é importante deixá-la pelo menos um mês em repouso antes de ser comercializada.
Como é finalizado o método tradicional, confira os processos:
Parte I
Parte II
Parte III
Depois é só partir para o brinde! HUUUUUUUUUUM....

PUPITRES

Para decantar os resíduos das borras de fermentação, as garrafas são colocadas em pupitres, onde são girados manualmente ¼ de volta todos os dias por um período de 20 a 60 dias, para que os resíduos cheguem até o gargalo. É o chamado processo de REMUAGE.

Como é finalizado o champenoise - parte I I I ...


video
Removidas as borras é hora de colocar a rolha e a grade de proteção.

Como é finalizado o champenoise - parte I I ...

video

Após o bico da garrafa estar congelado o passo seguinte é remover a tampa e as leveduras congeladas. Evento que ocorre nesta máquina. Em algumas vinícolas ainda é feito manualmente.

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Como é finalizado o champenoise - parte I....

Confira como é a finalização do método champenoise:


video
Após passar longo período em fermentação na garrafa, diretamente com as leveduras, e passar pelos pupitres para decantar as borras, é hora da garrafa passar pelo degorgement (congelar o bico da garrafa onde se encontram as leveduras - em solução hidroalcoólica temperatura abaixo de zero).

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

João Valduga - uma história de amor ao espumante nacional

video
João Valduga (enólogo da Casa Valduga) falando um pouco sobre sua paixão aos espumantes a também sobre a maior cave particular de espumantes da america latina.
A visita na vinícola tinha o objetivo de fotografar a Cave e a linha de produção dos espumantes, mas surgiram algumas jóias em vídeos (sem tecnologias avanças para filmar). Mas momentos de muito prazer dentro da Vinícola.

TANINOS....

Podemos sentir TANINOS bebendo chá, porque não são exclusivos do vinho. Eles se encontram na pele fina das nozes, nas folhas de chás, na casca e nos engaços dos cachos de uvas, em caules de plantas...
Taninos são componentes essenciais do vinho tinto indispensável à longevidade. Derivados das cascas (pele, grainhas e engaço) das uvas e de madeiras novas. A sensação de tanino é de secura na língua e céu da boca rugoso (se o vinho for novo).
Tanino não tem gosto apenas sensação no palato de secura - a famosa adstringência.
Tanino é um elemento essencial num vinho tinto, os níveis de taninos nos vinhos tintos variam conforme a casta. A quantidade de taninos num vinho é indicador de maturidade, o vinho novo tem taninos mais agressivos, enquanto que o vinho envelhecido suaviza os taninos.
Podemos encontrar taninos em vinhos brancos, mas não é uma situação a qual se deva esperar. Taninos em vinhos brancos resultam da utilização de estágios em barricas de carvalho ou da permanência por longo tempo de cascas e engaços de uvas brancas no mosto.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Caminhos do Enoturismo no RS

* Em Bento Gonçalves os caminhos são:
- Vinhos de Montanha (região de Pinto Bandeira);
- Vale Aurora (Tuiuty, Faria Lenos...);
- Vale dos Vinhedos;
- Monte Belo.
* Garibaldi: Região dos Espumantes;
* Farroupilha: Vale Trentino;
* Flores da Cunha: Vinhos dos Altos Montes.
* Encruzilhada do Sul;
* Santa do Livramento;
São os pontos mais procurados, em qualquer destes roteiros respira-se muito amor ao vinho.

Quem aguenta a vida moderna....

Exigências da vida moderna (quem agüenta tudo isso??)
Dizem que todos os dias você deve comer uma maçã por causa do ferro.
E uma banana pelo potássio. E também uma laranja pela vitamina C.

Uma xícara de chá verde sem açúcar para prevenir a diabetes.
Todos os dias deve-se tomar ao menos dois litros de água.
E uriná-los, o que consome o dobro do tempo..
Todos os dias deve-se tomar um Yakult pelos lactobacilos (que ninguém sabe bem o que é, mas que aos bilhões, ajudam a digestão).

Cada dia uma Aspirina, previne infarto.
Uma taça de vinho tinto também.
Uma de vinho branco estabiliza o sistema nervoso.

Um copo de cerveja, para... não lembro bem para o que, mas faz bem.
O benefício adicional é que se você tomar tudo isso ao mesmo tempo e tiver um derrame, nem vai perceber.

........
O texto é mais longo, mas eu gosto muito é da passagem sobre o vinho e por isso reproduzi por aqui.
........
Luís Fernando Veríssimo

Sushi Vin o primeiro vinho nacional de harmonização oriental

1º. Vinho de Harmonização para a Gastronomia Oriental elaborado no Brasil por produtores da Serra Gaúcha e comercializado pela Trade On e representação exclusiva na vinhosnet. Desenvolvido especialmente para o crescente mercado da gastronomia oriental, o Sushi Vin foi criado por uma equipe composta por agrônomos, enólogos e sommeliers, em busca do melhor equilíbrio com a complexa gastronomia do Oriente.A composição entre 3 varietais proporcionou a este vinho um toque leve e refrescante, com ricos aromas. Temperatura de consumo de 6 a 8 ºC.

Cup de Vinho e Frutas

Nada mais refrescante do que um ponche/cup nesta época do ano.

Ingredientes:

1 laranja cortada em rodelas
12 morangos
1 pera cortada em fatia
12 cerejas ao marasquino
1 dose de conhaque
1 dose de grand marnier
1 dose de marasquino
1 garrafa de vinho rose frisante

Modo de fazer:

Em uma jarra com capacidade para 3 litros, coloque gelo até 1/4 da altura da mesma. Junte os outros ingredientes, menos o vinho rose, e mexa bem. Em seguida tampe e leve à geladeira por 30 minutos. Na hora de servir complete com o vinho.

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Os destaques na IV Avaliação Internacional

Casa Valduga Vinhos Finos Ltda Casa Valduga Mundvs Malbec Vinho Tinto 2006 Argentina Ouro

ABEGÊ - Participações Indústria e Comércio de Bebidas Ltda Don Giovanni Espumante Brut Rosé Esp. Brut Rosé
Brasil Ouro

ABEGÊ - Participações Indústria e Comércio de Bebidas Ltda Don Giovanni Espumante Moscatel Esp. Moscatel
Brasil Prata

Boscato Indústria Vinícola Ltda Boscato Reserva Cabernet Sauvignon Vinho Tinto 2002 Brasil Ouro

Boscato Indústria Vinícola Ltda Boscato Reserva Merlot Vinho Tinto 2005 Brasil Ouro

Boscato Indústria Vinícola Ltda Boscato Rosé Vinho Rosé
Brasil Prata

Boscato Indústria Vinícola Ltda Boscato Reserva Cabernet Sauvignon Vinho Tinto 2004 Brasil Prata

Casa Valduga Vinhos Finos Ltda Casa Valduga Gran Chardonnay Vinho Branco 2008 Brasil Ouro

Casa Valduga Vinhos Finos Ltda Casa Valduga Espumante Moscatel Esp. Moscatel 2008 Brasil Ouro

Casa Valduga Vinhos Finos Ltda Casa Valduga Destilado Cabernet Sauvignon Destilado
Brasil Ouro

Casa Valduga Vinhos Finos Ltda Casa Valduga Brandy Brandy
Brasil Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda Aurora Chardonnay Espumante Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda Aurora Millèsime Cabernet Sauvignon Vinho Tinto 2004 Brasil Ouro

Cooperativa Vinícola Aurora Ltda Aurora Espumante Prosecco Esp. Brut
Brasil Prata

Cooperativa Vinícola Garibaldi Ltda Garibaldi Espumante Prosecco Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Cooperativa Vinícola Garibaldi Ltda Garibaldi Espumante Moscatel Esp. Moscatel
Brasil Ouro

Estabelecimento Vinícola Peterlongo S.A. Peterlongo Espumante Presence Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Estabelecimento Vinícola Peterlongo S.A. Peterlongo Espumante Prosecco Brut Esp. Brut 2008 Brasil Ouro

Estabelecimento Vinícola Peterlongo S.A. Peterlongo Espumante Moscatel Esp. Moscatel
Brasil Ouro

Estabelecimento Vinícola Peterlongo S.A. Fino Peterlongo Espumante Brut Esp. Brut
Brasil Prata

Estabelecimento Vinícola Valmarino Ltda Valmarino Espumante Champenoise Brut Esp. Brut 2007 Brasil Prata

Fazenda Ouro Verde Ltda Terranova Cabernet Sauvignon / Shiraz Vinho Tinto 2006 Brasil Ouro

Irmãos Molon Ltda Licoroso Reggio di Castela Vinho tinto Licoroso tinto
Brasil Ouro

Irmãos Molon Ltda Mistela Reggio di Castela Licoroso
Brasil Ouro

Irmãos Molon Ltda Pietro Felice Espumante Moscatel Esp. Moscatel 2007 Brasil Prata

Lovara Vinhos Finos Ltda Lovara Cabernet Sauvignon Vinho Tinto 2007 Brasil Ouro

Pizzato Vinhas & Vinhos Pizzato Reserva Cabernet Sauvignon Vinho Tinto 2004 Brasil Ouro

Pizzato Vinhas & Vinhos Pizzato Reserva Merlot Vinho Tinto 2005 Brasil Ouro

Sociedade de Bebidas Panizzon Ltda Panizzon Espumante Chardonnay Esp. Brut
Brasil Ouro

Sociedade de Bebidas Panizzon Ltda Panizzon Espumante Prosecco Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Sociedade de Bebidas Panizzon Ltda Panizzon Espumante Moscatel Esp. Moscatel 2008 Brasil Ouro

Vinhos Don Guerino Don Guerino Chardonnay Vinho Branco 2008 Brasil Ouro

Vinhos Finos Velha Cantina Ltda Cave Antiga Espumante Prosecco Shoenburguer Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Vinhos Finos Velha Cantina Ltda Cave Antiga Espumante Natural Champenoise Brut Esp. Brut
Brasil Prata

Vinhos Salton S/A Indústria e Comércio Salton Talento Vinho Tinto 2005 Brasil Ouro

Vinícola Cave de Amadeu Ltda Amadeu Reserva Chardonnay Vinho Branco 2008 Brasil Ouro

Vinícola Cave de Amadeu Ltda Amadeu Espumante Brut Esp. Brut 2007 Brasil Ouro

Vinícola Cave de Amadeu Ltda Amadeu Espumante Brut Esp. Brut 2005 Brasil Ouro

Vinícola Cave de Amadeu Ltda Amadeu Espumante Brut Rosé Esp. Brut Rosé
Brasil Prata

Vinícola Cordelier Ltda Cordelier Espumante Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Vinícola Cordelier Ltda Codelier Equilibrium Vinho Tinto 2005 Brasil Prata

Vinícola Dom Cândido Ltda DC Espumante Moscatel Esp. Moscatel
Brasil Ouro

Vinícola Dom Cândido Ltda DC Espumante Chardonnay Brut Esp. Brut
Brasil Prata

Vinícola Gheller Ltda Gheller Gran Reserva Vinho tinto Vinho Tinto 2005 Brasil Ouro

Vinícola Marco Luigi Ltda Marco Luigi Reserva da Família Merlot Vinho Tinto 2003 Brasil Ouro

Vinícola Marco Luigi Ltda Marco Luigi Espumante Moscatel Esp. Moscatel
Brasil Ouro

Vinícola Miolo Ltda Miolo Seleção Vinho branco Vinho Branco 2008 Brasil Prata

Vinícola Perini Ltda Casa Perini Espumante Charmat Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Vinícola Perini Ltda Casa Perini Espumante Champenoise Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Vinícola Perini Ltda Casa Perini Espumante Prosecco Brut Esp. Brut
Brasil Ouro

Vinícola Perini Ltda Casa Perini Rosé Vinho Rosé 2007 Brasil Prata

Vinícola Cave de Amadeu Ltda El Sueño Carmenère Vinho Tinto 2006 Chile Ouro

Não listei todos, escolhi os que considero os mais representativos.

quinta-feira, 13 de novembro de 2008

IV Concurso Internacional de Vinhos do Brasil

o IV Concurso Iternacional de Vinhos do Brasil, realizado entre os dias 03 e 06 de novembro, premiou 127 das 434 amostras inscritas. Cinquenta e um degustadores de nove países estiveram envolvidos na seleção das amostras, sendo 35 brasileiros, havia vinhos da Alemanha, África do Sul, Argentina, Austrália, Brasil, Chile, Espanha, Estados Unidos, França, Israel, Itália, Nova Zelândia, Peru, Portugal e Uruguai.
Os vinhos tintos conquistaram sessenta e três medalhas, os espumantes levaram quarenta e seis, os vinhos brancos nove, duas foram para os vinhos rosés, cinco para licorosos e uma para destilado e outra para brandy.
De acordo com o presidente da ABE, Carlos Abarzua, " o nível das amostras participantes foi muito alto, os espumantes brasileiros foram show a parte.
A noite de premiação reuniu mais de 200 pessoas ligadas ao seter do vinho no Spa do Vinho no Vale dos Vinhedos.

O Eterno Dilema das ROLHAS


As rolhas sempre são assunto controverso quando o assunto é sua finalidade na proteção do vinho. Existem rolhas de cortiça (maciça e compensado), rolhas sintéticas e sistema de fechamento screw-caps (rosca).
No quesito charme e proteção perfeita ao vinho o recomendado é escolher vinhos que utilizem rolha maciça. Na linha de vinhos mais baratos é comum a utilização de rolhas de compensado, preste atenção pois estas passam aroma/gosto de cola ao vinho. Prefira vinhos que utilizem rolhas de tripla camada (cortiça maciça - compensado - cortiça maciça).
Vinhos jovens e mais baratos devem ser escolhidos pela rolha, dê preferência aos produtos que utilizam rolhas sintéticas que não passam nenhum aroma ao vinho ou que utilizam o sistema Screw-caps.
Vinhos com uso inteligente de rolhas:
Valmarino X - rolha de cortiça maciça.

Salton Lunae Branco - sistema screw-caps.


Miolo Gamay - rolha sintética.

O primeiro vinho é de longevidade e a rolha maciça proporcionará ao vinho um envelhecimento garantido. O segundo vinho é jovem e de consumo rápido. E o terceiro também. Soluções inteligentes para vinhos com perfis diferentes!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

Duas Versões para o coquetel MIMOSA

Coquetel MIMOSA

Versão Brut
1 dose de suco de laranja
Espumante Brut Casa Valduga 130 anos gelado
Numa taça de boca larga e pé alto coloque o suco de laranja e complete com o espumante brut bem gelado.


Versão Moscatel
1 dose de suco de laranja
Espumante Moscatel Aurora gelado
Numa taça de boca larga e pé alto coloque o suco de laranja e complete com o espumante moscatel bem gelado.


Pudim de Suco de Uva

INGREDIENTES DO PUDIM:
3 xícaras de chá de suco de uva Orgânico Da Casa.
2 xícaras de chá de água
1 xícara de chá de açúcar
1 xícara de chá de amido de milho

INGREDIENTES DA CALDA:
1 ½ xícara (chá) de suco de uva orgânico Da Casa
5 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (chá) de maisena

MODO DE PREPARO DO PUDIM:
Em um refratário médio, coloque o suco, a água, o açúcar e o amido de milho. Misture bem, para que os ingredientes se desfaçam, e cozinhe por 10 minutos na potência alta.
Mexa de vez em quando, para engrossar uniformemente. Aguarde o tempo de espera de 10 minutos, mexendo de vez em quando, para que o creme fique homogêneo. Espere esfriar e coloque em uma fôrma umedecida.
Desenforme depois de frio.

MODO DE PREPARO DA CALDA:
Numa tigelinha, dissolva a maisena em 1/3 do suco de uva.
Numa panela pequena, misture o restante do suco de uva, a água e a maisena dissolvida. Leve ao fogo baixo e mexa até engrossar.
Em seguida, transfira a calda para uma tigela e leve à geladeira para esfriar.

O chef é da Vinícola Garibaldi, e eu fiz o teste e aprovo, é uma delicia!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Detalhes marcantes da Visita - Cave de Amadeu - Cave Geisse

Bico da garrafa congelado, para o degorgement.

Leveduras descongeladas.


Esta garrafa iria para a máquina de rolhas.


Iria também para a gaiola, maaaas....


O destino de um espumante é proporcionar prazer,
Tim, tim na linha de produção...


Uma pose com o moscatel Cave de Amadeu, refrescante e com acidez perfeita.
Comprar o espumante.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

O esperado Gran Reserva Chardonnay 2008

Gran Reserva Chardonnay Casa Valduga 2008Coloração amarelo palha com reflexos algo esverdeados, brilhante, jovial. Notas de abacaxi maduro, chocolate, que preenchem a boca de água e pedem o próximo gole. Delicado, sutil, envolvente e muito refrescante pela acidez equilibradíssima. Com toda certeza evoluirá na garrafa. Se não o melhor branco do ano, é um dos. Por enquanto é o favorito!

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Casa Valduga Uma Tarde Especial

Uma tarde muito agradável e com deliciosas degustações.
Apresento Gran Reserva Cahrdonnay 2008 (frutas tropicais, banana, chocolate), Identidade Ancellotta (mentolado), Identidade Marselan (couro) e Identidade Arinarnoa (instigante e misterioso, mas tudo de bom). Em breve estas novidades no mercado.


Estes são so simpáticos, jovens empreendedores e muito competentes que receberam com muita atenção e carinho: Fabiano, Eu e Luciano, no Varejo da Casa Valduga.

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Enólogo do Ano


Carlos Abarzúa e os diretores Hélio Buffon, da Amazon Group e da Ibrac, João Garcez entregaram o prêmio de Enólogo do Ano 2008 para Ismar Pasini (Cooperativa Vinícola São João).

Ismar Pasini foi eleito Enológo do Ano 2008. Natural de Bento Gonçalves, exerce suas atividades na Cooperativa São João, em Farroupilha. A homenagem aconteceu durante jantar-festivo promovido pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), na sexta-feira (24), no DallOnder Grande Hotel, em Bento Gonçalves. Cerca de 200 associados participaram do evento que festejou o Dia do Enólogo e os 32 anos da entidade, ambos comemorados no dia 22 de outubro.
Premiado com uma viagem para a Europa, Pasini visitará uma feira do setor vitivinícola com o compromisso de apresentar relatório e palestra aberta a todos os associados da ABE. Ele deverá relatar suas experiências adquiridas durante a viagem técnica, a fim de multiplicar conhecimentos com os demais enólogos. A passagem aérea será em classe econômica, incluindo seis diárias em hotel categoria turística, além de seguro da viagem.

PREMIADOS
Enólogo do Ano 2004 – Antônio Czarnobay
Enólogo do Ano 2005 – Gilberto Pedrucci
Enólogo do Ano 2006 – Firmino Splendor
Enólogo do Ano 2007 – Adriano Miolo
Enólogo do Ano 2008 – Ismar Pasini

sábado, 25 de outubro de 2008

Adegas Subaquáticas, Marketing ou Qualidade?

Produtores franceses e chilenos, estão depositando vinhos e espumantes em Adegas (caixas de madeira), submergidas a 11 ou 15 metros, de água do mar ou água doce, para proporcionar a estes produtos qualidade diferenciada. Segundo o diretor técnico de Enologia da ABE, Valter Marzarotto: "Não existem pesquisas científicas que comprovam essa técnica, mas se o objetivo é manter os vinhos em local escuro e a temperatura constantemente igual e baixa, isso pode agilizar o processo de envelhecimento do vinho". Alguns alegam que é apenas jogada de marketing, outros afirmam que estes vinhos apresentam mais características minerais. Vale experimentar!?, pergunto.

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Dia Estadual do Espumante e Dia do Enólogo


Espumante é símbolo de glamour.
É sofisticado, elegante, encantador.
Nas festas de fim de ano ele reina
soberano entre belos vestidos,
traduzindo uma parte da alma feminina.
Sem dúvida, uma bebida das deusas...
Viva o espumante nacional!

Mas não vamos esquecer de quem o faz.... que hoje é o dia de quem elabora o espumante. Hoje é dia também do Enólogo. Portanto também é dia dos deuses.
Tim Tim!

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Dicas para remover manchas de vinho

Para remover manchas de vinho:

Vinho tinto que caiu na roupa - Passar algodão embebido em água oxigenada 10 vol.
Vinho branco - Passar leite e enxaguar com água.

Vinho tinto que caiu no tapete - jogar um pouco de vinho branco ou ácool hidratado e enxugar com papel toalha.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Pinot Noir que não vem da Borgonha


Surpresa em uma degustação às cegas promovida pela revista DiVino, o Aurora Varietal Pinot Noir (R$13,39), elaborado na serra gaúcha, conquistou uma alta pontuação, comparado com dez vinhos da variedade na faixa dos R$100,00.
A proposta da degustação era comparar os vinhos Pinnot Noir da Borgonha, referência no cultivo e vinificação da cepa, ao resto do mundo, degustando cinco vinhos da Borgonha e cinco do Novo Mundo.
O vinho brasileiro mereceu pontuação igual à de vinhos de preço muito superior, e superou um francês (de R$ 78,00) e um argentino (de R$ 74,00).
O resultado dessa degustação reafirma o que os apreciadores de vinho vêm concluído nos últimos anos: o preço não é o indicador determinante da qualidade do vinho e, mesmo sem ser cultivada no terroir ideal, a cepa, se bem vinificada sob cuidados extremados do enólogo, gera um vinho com tipicidade e alta qualidade. Por essas razões, o Aurora Varietal Pinot Noir , vinho de menor preço do painel, foi o grande destaque dessa degustação.

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A importação é um mal necessário....

A invasão dos vinhos importados é um mal necessário, pois forçam a busca constante pela qualidade, visto que até poucos anos era raro ver uvas chegarem a 17 graus, agora é comum encontrar matéria-prima de 20, até 22 graus. Os produtores devem buscar uvas boas para consequentemente elaborar bons vinhos.
Fazer a lição de casa é o mais importante para enfrentar a concorrência aos importados.
Cuidar dos vinhedos para obter matéria-prima de qualidade e profissionais qualificados e atentos as mudanças das tendências comerciais é sucesso garantido nas vendas, e não depende muito da concorrência por preços (claro preço justo sempre conta muito).

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Merlot e o terroir da Serra

É uma uva também originária da Região de Bordeaux. Possui cacho geralmente alado de tamanho médio e bagas pequenas. Quando elaborado com uva madura, seu vinho é redondo, aveludado, potente, rico em álcool e de coloração intensa. Devido à sua constituição fenólica, pode ser fermentado e amadurecido em barrica de carvalho. É um vinho que pode ser consumido puro ou cortado com outros vaietais, principalmente, com o Cabernet Sauvignon. Principais descritores aromaáticos: os mais complexos lembram trufas e são frutados, com características de ameixa, cereja preta, framboesa e groselha.
Uva que se adapta bem na Serra Gaúcha e cada terroir (conjunto de clima, solo, temperatura, micro-clima, manejo e condução e trabalho humano) proporcionam vinhos vinhos diferentes, confira as diferenças degustando os diversos produtos especialmente selecionados:
Salton classic merlot - Versão dia-a-dia - ótima relação custo x benefício;
Salton Desejo - Versão top de linha - sucesso garantido;
Pizzato Merlot - Versão para jantares especias - para não errar com os amigos;
Pizzato Fausto - Merlot - Versão dia-a-dia com mais presença que o classic - ótima relação custo x benefício.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Marselan Velha Cantina / Cave Antiga

Vinho nobre, de coloração intensa, aroma típico de frutas maduras, especiarias destacando notas de baunilha de intensidade média e toques de tostado pela passagem por carvalho francês. De excelente estrutura e taninos doces devido ao caráter varietal Marselan, bem adaptado às condições de solo e clima da Serra Gaúcha. Temperatura de consumo de 16 a 18°C. Acompanha risotos de temperos fortes, carnes selvagens, carnes assadas.
Comprar o vinho Marselan

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Uma tarde na Dal Pizzol

Um brinde que ninguém é de ferro.... rs...

A consultora de vendas, Simara Troian, da Dal Pizzol nos recebeu com muito carinho e atenção e executou o ritual do sabre. Que pode ser visualizado logo mais em baixo nesta página.

Vinhedo com uvas de várias partes do mundo, em fase experimental. Uma surpresa para o futuro.

Dal Pizzol Espumante Brut Champenoise

Dal Pizzol Brut foi elaborado com uma seleção de grandes vinhos das cepas Chardonnay que dá elegância e finesse, Pinot Noir (Blanc de Noir) responsável pelo corpo, estrutura e persistência, e Sylvaner completando com um leve toque de acidez e sutileza de aromas. A champanhização foi realizada na própria garrafa através do Método Traditionelle (Champenoise), lentamente e na temperatura adequada com minucioso controle. Dessa criteriosa combinação, encontramos neste espumante classe, elegância e uma agradável sensação de refrescância. Parte-se de um vinho base , adiciona-se o açúcar, os clarificantes e as leveduras (licor de tiragem), que são essenciais para o processo de refermentação. Da quantidade de açúcar agregado, vai depender a pressão final do espumante. O engarrafamento é feito nas mesmas garrafas que o produto será comercializado. As garrafas são fechadas com tampas metálicas, que serão removidas posteriormente. O “Prisse de Mousse” é o nome dado a Segunda fermentação. A transformação do açúcar em álcool desprende gás carbônico que ficará contido na garrafa. Essa fermentação é muito lenta (4 a 6 semanas), com a garrafa na posição horizontal e temperatura em torno de 12 a 13°C, o que favorece a boa combinação do gás com o vinho. Após isso, as leveduras tendem a se depositar no fundo das garrafas ajudadas pela ação do clarificante. Neste momento, deixa-se o produto em contato com as leveduras por um período que varia de 1 ano e meio a 2 anos, onde ocorre a autólise das leveduras, com a liberação de aminoácidos, que incorporam ao produto um aroma especial. Finalizada a etapa da autólise, as garrafas que estavam acondicionadas nas caves, são retiradas, agitadas para homogeneizar o líquido e colocadas nos pupitres na posição levemente inclinada e com gargalo voltado para baixo. A cada semana as garrafas são giradas no sentido horário 1/8 de volta avançando ligeiramente no pupitre, o que ocasiona a elevação em direção à posição vertical. Com essa operação, os resíduos são colocados lentamente em direção à boca. Finalizada esta etapa, que tem uma duração variável em função da técnica utilizada, os resíduos já se encontram retidas na tampa especial de metal e aguardam a retirada das mesmas. Terminada a “remuage”, os gargalos são congelados a ponto de atingir apenas os sedimentos acumulados. Forma-se assim um tampão de gelo que retém as impurezas e permite inverter a garrafa. Retira-se a coroa e a pressão que se desprende provoca a expulsão do tampão, arrastando junto às impurezas. Devido à baixa temperatura, a perda de pressão é praticamente nula, podendo-se assim adicionar o licor de expedição. O passo seguinte é a colocação da rolha, da gaiola, do rótulo e a liberação do produto para a comercialização.
Coloração amarela com reflexos dourados, límpido e brilhante, espuma abundante e persistente, belíssimo perlage de finas e numerosas borbulhas. O aroma é complexo sobressaindo-se o tostado e a levedura, com toques lembram frutas como pêssego maduro, amêndoas e torradas. No paladar apresenta um franco ataque de acidez e logo após nota-se uma sensação de harmonia. Este espumante apresenta boa estrutura, equilíbrio e corpo, resultante do longo amadurecimento contato com as leveduras.
Aconselha-se beber o espumante entre 3 a 7 °C.
Comprar o espumante Dal Pizzol Champenoise

Sabrage na Dal Pizzol Parte II

video

Sabrage na Dal Pizzol Parte I

video

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Salvati e Sirena



Sempre foi um sonho do enólogo Silvério Salvati construir uma pequena vinícola familiar para elaborar vinhos diferenciados que não se consegue em grandes vinícolas e a nível industrial.

Esta idéia soou bem também aos ouvidos da família Sirena, que acreditou na idéia e apostou junto como sócia do empreendimento.
Com a idéia formada, a cantina aderiu ao projeto cultural Caminhos de Pedra, ocupando o item 047, que é vinícola de vinhos finos.

O projeto cultural Caminhos de Pedra tem sido responsável pelo resgate e preservação da cultura da colonização italiana, da arquitetura, do dialeto vêneto, da gastronomia, dos costume sócio-culturais e religiosos.

A Cantina Salvati & Sirena está inserida neste contexto cultural, resgatando variedades de uvas quase não mais cultivadas, elaborando vinhos de extrema qualidade.



Durante 9 anos fomos quebrando pedras basálticas extraídas do próprio local e delas transformando a construção. O trabalho foi árduo e demorado, porque as pedras quebravam de forma irregular. Mesmo assim, elas foram utilizadas, formando uma característica peculiar que na arquitetura e engenharia é chamada de cantaria.

Cuidadosamente estudada, a forma da Cantina Salvati é Octagonal para melhor aproveitamento dos espaços físicos, uma vez que o octágono é um figura centralizadora e o canto é aberto em 135º.

Comprar vinhos Salvati & Sirena

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Salton Talento 2005 chega ao mercado

A safra 2005 de um dos vinhos mais premiados da Salton começa a chegar ao mercado ainda nesta semana: Elaborado apenas em anos em que a uva apresenta alta qualidade, o Salton Talento terá distribuição nacional. No total, serão 74 mil garrafas que poderão ser encontradas nos principais restaurantes, supermercados e casas especializadas do país. Proveniente de uma safra excepcional, quando choveu pouco e o clima quente favoreceu a maturação da fruta, o Salton Talento 2005 reúne os diferenciais que fizeram do rótulo um dos maiores sucessos da vinícola de Tuiuty.
Elaborado com uvas Cabernet Sauvignon, Merlot e Tannat selecionadas, o vinho destaca uma coloração roxo intenso e límpida, com um buquê complexo de flores secas, frutas roxas (amora, framboesa, mirtilo e cassis), além de notas de nozes, tabaco, café, cogumelos, tostados, chocolate e especiarias. Na boca é elegante e concentrado, doce e equilibrado. Destaca taninos macios e estruturados, que permitem um final persistente e harmônico, resultado do amadurecimento durante 12 meses em barricas de carvalho francês novas, além de outros 12 meses na garrafa.
Duas safras do Salton Talento já puderam ser apreciadas: 2002, lançada dois anos depois, e 2004, apresentada durante a vinda do Papa Bento XVI ao Brasil, em maio do ano passado. Há quatro anos no mercado, o Salton Talento reúne medalhas e distinções concedidas em diversas partes do mundo, especialmente no berço do vinho: a França e a Itália. Entre algumas das premiações estão as medalhas nos concursos Challenge International du Vin (França), International Wine Challenge (Inglaterra), Vinitaly 2008 (Itália), Selections Mondiales (Canadá), Mundus Vini (Alemanha), Vindandino 2007 (Argentina). O vinho ainda foi o principal destaque da 5ª edição do Concurso Nacional de Vinhos Finos, organizado pelo Concurso Mundial de Bruxelas, quando conquistou a Grande Medalha de Ouro, maior distinção do concurso.
Comprar o vinho Salton Talento